Parabéns, Mariana Vitorino

Parabéns, Mariana Vitorino

Regra geral, são vários os motivos que nos podem induzir a escrever, são várias as emoções anexas, são vários os pensamentos que querem ter voz…

Hoje escrevo para (e por) uma das mulheres da minha vida – mesmo que ela não tenha noção disso, talvez porque não lho diga com frequência -, hoje escrevo para a única pessoa da família directa (se me permitem a expressão) que ainda não tinha tido, até à data, qualquer tipo de dedicatória… Hoje escrevo para a minha irmã, Mariana Vitorino.

Durante a madrugada, enquanto dava voltas na cama, por causa do calor, recordei o dia em que nasceste…Recordei, particularmente, o facto de estar em casa da avó Luz e o pai ter chegado de carro. Buzinou e nós viemos cá para fora (eu, a avó e a tia Piedade) e o pai disse: “Já nasceu!” Ao chegarmos ao hospital, recordo-me que foi com imenso cuidado que te peguei ao colo e, embora na altura tenha sido muito importante, apenas hoje, passados 14 anos, tenho plena noção do significado daquele gesto tão singelo, mas mágico e avassalador.

A “Nicró” foi crescendo e crescendo e, verdade seja dita, não só em tamanho, mas também em astúcia, inteligência (que a tem em maior quantidade que qualquer elemento lá em casa – também me incluo neste lote), capacidade de compreender o que a rodeia, em teimosia (não fosse ela da família Vitorino), mas sobretudo numa enorme habilidade de não só perceber a importância da Fé, como também de amar e de se preocupar com o próximo.

A nossa relação nem sempre foi fácil (penso que todos os que têm irmãos terão algo a dizer sobre esta matéria), porém, nos momentos verdadeiramente importantes, soubemos estar lá um para o outro (creio eu) e sempre soubeste surpreender-me quando menos esperava, especialmente nos escuteiros – recordo o dia das minhas partidas, em que me entregaste um bilhete com uma dedicatória; recordo o texto que tens neste mesmo blog, o da “pequena sacana”…

Mariana, o mano nem sempre te deu a atenção que merecias e exigias, nem sempre te instalou os jogos no computador, nem sempre teve paciência para ti ou para as tuas acções, nem sempre foi capaz de te abraçar quando precisavas, muito por culpa própria, porque a vida fora de casa (e mesmo dentro desta) foi exigindo cada vez mais de mim – peço-te que aproveites, ao máximo, os anos de vida em que as grandes preocupações são os testes ou estudar; peço-te que aproveites as oportunidades que surgem a cada amanhecer e peço-te que não tenhas medo de crescer, mantendo a criança amiga, verdadeira, sincera e capaz que sei que és.

Certamente te aperceberás que, muitas das vezes, erramos na vida, falhamos e tropeçamos, mas quero-te dizer que estou ao teu lado, mesmo que apenas de forma espiritual; quero-te dizer que estou à distância de uma chamada de telemóvel, skype, whatsapp, facebook – irra, tanta maneira de estarmos perto e, por vezes, nem assim!; quero-te dizer que tenho um imenso orgulho em ti, nas tuas capacidades, na forma como manifestas a tua Fé – caramba…tivesse eu a tua capacidade quando tinha a tua idade…tivesse eu compreendido a importância de Deus e de Jesus na minha vida – e que tão feliz me deixa;

Mariana, eu gosto muito de ti – tanto quanto um irmão pode gostar; Mariana, eu amo-te com todo o meu coração – tanto quanto um irmão pode amar; Mariana, eu preciso de ti na minha vida – tanto quanto um irmão pode precisar…

Mariana, quero pedir-te desculpa por não estar aí contigo para te cantar os parabéns e para te dar um abraço apertado, quero-te pedir desculpa por não te dar nenhuma prenda (hoje, pelo menos), quero-te dizer que estou com saudades tuas e da tua companhia, na sala, a jogar Playstation e a levar, de vez em quando, “valentes coças” no Fifa (sim, admito, a minha irmã de 14 anos joga muito melhor do que eu).

Para terminar, agradeço a Deus, nosso Pai, pela enorme graça que concedeu à nossa família – o teu nascimento e vida; agradeço aos nossos pais por terem escutado a voz que lhes dizia: “Jovens, se calhar já ouviam o vosso filho e tentavam dar-lhe um irmão (que acabou por ser irmã, felizmente)!” e agradeço-te a tua presença na minha vida, a tua amizade, a tua boa disposição e parvoíce (sim, porque há que ter boa disposição de espírito, não é?)

Obrigado, Mariana, por seres minha irmã!

Muitos parabéns e que Deus te conceda todas as bênçãos que precises não só durante “os 14”, mas durante toda a tua vida, porque anjos da guarda e estrelas no céu a olhar por nós, já temos algumas…

Beijinhos do mano,
Saul Vitorino

Anúncios

Parabéns, amigo Diogo Martins!

Amigo Diogo Martins,

Também já chega a hora de seres agraciado com uma mensagem destas.

Já nos conhecemos há alguns anos, muitos dos quais foram passados pelos escuteiros, outros em Leiria e, ainda, outros em plena Figueira da Foz. São, felizmente, bastantes os episódios que tenho na memória, de peripécias, grandes dias e noites, uma ou outra zaragata, enfim, momentos que nos ficam, agora, pelo coração.

É certo que a nossa amizade não se mede com palavras, mas sim com sorrisos – sejam eles causados por alguma coisa que não tem graça, aparentemente, nenhuma; sejam aqueles que foram originados por aqueles fogos de conselho bombásticos, que tivemos (em particular, aquele em que fizeste de tia do Tom Sawyer, com dois pães, “rijos como cornos”, mas que se revelaram dois seios muito eficazes), ou de “little birds”, em Leiria – seja com aqueles abraços fortes – dados naquelas alturas que mais precisamos, acompanhados de conselhos e puxões de orelhas que, volta e meia, temos mas não queremos ouvir – ou mesmo através da distância e momentos em que não estamos, fisicamente, presentes – como é meu costume, no teu dia de anos. Infelizmente, ainda não é este ano que poderei estar ao teu lado, bom amigo.

Honestamente, admiro a tua capacidade de, olhando para uma fotografia, traçares um perfil, muito próximo da realidade, das pessoas que te rodeiam – ou daquelas que gostarias que te rodeassem.

Não podendo estar contigo, como já disse acima, tanto hoje, como no Sábado, serve esta mensagem para te desejar os parabéns. Que estes 23 anos sejam sinónimo de experiência de vida, de objectivos a cumprir e cumpridos, de novas amizades e de muito trabalho remunerado, de algumas noites sem dormir, de dias em que andes bem-disposto e te sintas capaz de mover montanhas.

Um grande abraço,

Do amigo,

Saul Vitorino

Data de Escrita: 23/04/2013

Parabéns, Mãe!

Parabéns, Mãe!

Já há muito tempo que não te dedico nada. É certo que, por vezes, estamos tão preocupados com outras coisas – úteis ou não – que não damos o valor, a uma das pessoas mais importantes na nossa vida, e sem a qual a mesma não seria possível. Isto pode acontecer por causa do trabalho, estudo, das inúmeras pressões que nos são colocadas, seja por estarmos bem – e porque existem pessoas que nos querem rebaixar -, seja por que estamos menos bem e precisamos de concentrar as nossas forças naquilo que é complicado, ou seja, levantarmo-nos, pelo nosso próprio pé.

Não é tarefa fácil, educar duas pessoas, com idades díspares, como é o meu caso e da Mariana, no entanto, todos os dias dás o teu melhor, todos os dias és capaz de sorrir, mesmo que o dia, lá fora, não te tenha dado motivos para isso.

Que Deus te abençoe, não só hoje, mas também nos demais dias do ano, e que saibas recorrer-lhe para agradecer, para pedir alguma coisa, para desabafar ou, pura e simplesmente, para reconheceres o quão pequena és, neste mundo, para muitos dos que te rodeiam, mas também o quão importante e grande és – para os teus filhos, marido e pais. Espero, igualmente, que, vivendo um dia de cada vez, possas triunfar, diariamente, nas pequenas batalhas que vais travando,  com a ajuda daqueles que te rodeiam e que merecem a tua confiança e que nunca te falte a força para viver.

Em suma, o que importa é não baixar os braços, é contagiares as pessoas, que se encontram à tua volta, com a boa disposição que costumas ter.

Neste dia em que completas, mais um ano de vida, espero que a vida te dê imensos motivos para andares feliz, mesmo que as notícias sejam pouco animadoras, há que recordar a vida que passou, os planos que queres fazer, o ‘de onde vim, para onde quero ir’.

Parabéns, mãe. Obrigado pela pessoa que és e pela formação, carinho, apreço, força, entre tantos outros, que me dás, diariamente. Um enorme beijinho.

Do teu filho,

Saul Vitorino

Parabéns, Cátia Paiva

Querida prima,

Honestamente não me recordo do dia em que me passei a recordar de ti. Confuso? Espero que não, afinal aquela fotografia que temos em casa da minha avó de um S. João ou uma outra festa, em que estamos caracterizados, a preceito, elucida a relação, algo forte, que sempre tivemos.

Se Deus realmente existe – o que eu deixei de duvidar – certamente terá bons planos para ti, seja no que concerne ao trabalho, à vida pessoal, passando pelo lazer e por situações em que és chamada a decidir.

Independentemente do que Ele tem planeado ou do que Ele orienta, cabe-nos aproveitar cada dia com energia, conscientes de que podemos “não ser ninguém no mundo, mas que podemos ser o mundo de alguém” – certamente, para nós, teus familiares ou amigos, fazes parte desse nosso mundo, um mundo no qual podemos estar em concordância, no qual pretendemos contribuir para a felicidade do próximo…

Lembra-te que estes dias são apenas isso mesmo, dias, em que, por alguma razão que nos é alheia, se festeja – em alguns locais e culturas é sinónimo de tristeza, para outros de alegria. O que interessa, verdadeiramente, é que sejamos capazes de fazer sorrir quem chora, erguer quem cai, partilhar com aqueles que pouco têm, corrigir os que erram, acreditar nos que não crêem…no fundo, sermos felizes fazendo os outros felizes!

Sei que és capaz, pois todos temos a essência e essa necessidade, dentro de nós.

Peço-te…aproveita este ano de uma forma mais intensa e mais genuína que aqueles que passaram, aproveita para seres tu mesma, sem medos e receios, aproveita para  fazeres algo que ainda não tenhas oportunidade de ter realizado – seja um sonho antigo, uma ambição – mas, acima de tudo, vive com a certeza de que és capaz de alcançar o que quer que seja!

Um enorme beijinho de parabéns, deste primo que tem a mania que gosta de escrever e que quer, a todo o custo, tocar o coração daqueles que o rodeiam.

 

Autor: Saul Vitorino

Data de Escrita: 11/04/2012

Para ti, amigo Saul

Para ti, amigo Saul

Ao longo dos anos fui escrevendo algumas mensagens personalizadas de parabéns, outras de natal, e ainda outras nas quais desabafava para com o papel. Desde essa altura que me quis empenhar e escrever o melhor que sabia, tentar escolher as palavras de forma acertada para poder tocar o coração de todos aqueles que, em determinada altura, mereceram essa atenção, da minha parte.

Este ano, completei os meus 22 anos numa sexta-feira santa, e, desde esse dia, senti necessidade de escrever algo para mim mesmo, porque dificilmente alguém escreveria para mim – à excepção do meu pai, que sempre soube transmitir-me mensagens importantes, através das palavras.

Perdoem-me o egoísmo e egocentrismo, mas essa forte necessidade de me sentir importante, de ver que alguém é capaz de me valorizar, esporadicamente, de uma forma diferente, como eu tento valorizar os outros, tocou-me cá dentro e despoletou em mim a necessidade de, por momentos, elogiar a minha pessoa.

O título desta mensagem não foi escolhida ao acaso, pois, de facto, considero-me amigo de mim mesmo, ora por me proteger de possíveis erros – tendo em conta vivências que tenho tido, ao longo, destes 22 anos – ora por ser capaz de sorrir, quando as adversidades se manifestam de uma forma mais drástica.

Ao longo dos últimos 12 anos – afirmo, com certezas, tendo em conta a minha forma de pensar – tenho construído pensamentos e uma capacidade de raciocínio que me permitem desmultiplicar alguns cenários, tornando previsíveis algumas acções ou, simplesmente, a antecipação a estas. Em certas alturas gostava de me enganar, de falhar, mas, curiosamente, isso não acontece, o que, de alguma forma, me faz prever. Essas previsões, de vez em quando – até à data – tornam-se realidade, mais cedo ou mais tarde.

Como já disse, pensava eu, na minha ingenuidade, que ninguém me iria escrever e que apenas esta mensagem me iria reconfortar e me fazer recordar desta minha nova idade – aqueles números que nos perseguem, ano após ano, mas que são apenas isso mesmo, pois, o que verdadeiramente importa, é a vitalidade e energia que imprimimos na nossa vida. Qual foi a minha surpresa quando recebi, não uma, mas cinco mensagens bastante fortes – uma da minha namorada, duas de meu pai, uma da minha prima e uma de um forte grupo de amigos, que apesar de recente, me inspira, diariamente.

Permitam que partilhe alguns trechos – ou mesmo a totalidade – de algumas (em breve, todas) dessas mensagens que partilharam/me dirigiram.

Primeira mensagem de meu pai, dizia o seguinte:

“Ninguém é Feliz sozinho, ninguém consegue realizar-se com a solidão por isso é que um dia pedi a Deus que me mandasse alguém, alguém que nos desse amor, que nos fizesse feliz, que nos ajudasse a acreditar nos sonhos então Ele enviou-te a nós.

Eu sabia que um dia eu iria encontrar-te, viver dias de amor e muita dedicação, momentos que ficarão marcados para sempre na memória do tempo como este que eu vivo agora ao teu lado, o teu aniversário. É difícil expressar o valor e o amor por ti,

porque a cada dia eu aprendo a querer-te mais e mais (embora não o demonstre ou exprima).

É difícil dizer o que tu representas para nossa vida por que a cada

dia encontro em mim um novo espaço ocupado por ti, só sei que tu me fazes bem, me fazes feliz, me fazes realizado e muito amado.

Estou muito grato a Deus por te ter colocado no nosso caminho,

por me ter dado este grande ser e é em nome deste grande ser que sinto que hoje te desejamos muitas felicidades, muitos anos de vida, muita saúde, sucesso e paz. Muita Paz, tu mereces.

Feliz Aniversário

Do pai

Da mana”

Confesso que, ao ler esta mensagem, as lágrimas me escorreram, pela segunda vez, nesse dia, pela cara abaixo. Só Deus sabe a relação que tenho com o meu pai, que outrora difícil, actualmente muito frutífera e sólida – muitas das minhas qualidades, herdei-as, certamente, deste homem.

Seguidamente, num curto espaço de tempo, recebi a mensagem de minha prima, que me espantou pela originalidade e pelo cariz de profundidade que tais palavras albergavam:

“Um momento especial de renovação para a tua alma e teu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a nós a capacidade de recomeçar, a cada ano.

Desejo-te um ano cheio de amor e alegrias. Afinal, fazer aniversário é ter a chance de fazer novos amigos, ajudar mais pessoas, aprender e ensinar novas licções, vivenciar outras dores e suportar velhos problemas. Sorrir novos motivos e chorar outros, porque, amar o próximo é dar mais amparo, rezar mais preces e agradecer mais vezes. Fazer aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida, como dádiva de Deus. É ser grato, reconhecido, forte, destemido. É ser rima, é ser verso, é ver Deus no Universo.

Parabéns neste dia, tão grandioso J Beijinhos da prima”

Honestamente, esta foi a que mais me marcou pelo seu carácter de novidade, de algo inesperado…

Seguidamente, o meu pai voltou a surpreender-me, através de algumas palavras fantásticas, mais ligadas à religião – caminho que tenho seguido e do qual me orgulho, mesmo que os que me rodeiam não o compreendam ou aceitem – que aqui transcrevo:

“Só Deus pode criar, mas tu podes valorizar o que ele criou…

Só Deus pode dar a vida, mas tu podes transmiti-la e respeitá-la…

Só Deus pode dar saúde, mas tu podes guiar e orientar…

Só Deus pode dar fé, mas tu podes dar o seu testemunho…

Só Deus pode dar esperança, mas tu podes restituir a confiança ao próximo…

Só Deus pode dar o amor, mas tu podes ensinar o teu irmão a amar…

Só Deus pode dar paz, mas tu podes semear a união…

Só Deus pode dar alegria, mas tu podes sorrir a todos…

Só Deus pode dar força, mas tu podes apoiar quem desanima…

Só Deus é o caminho, mas tu podes indicá-lo aos outros…

Só Deus é a luz, mas tu podes fazê-la brilhar aos olhos do próximo…

Só Deus é a vida, mas tu podes restituir aos outros o desejo de viver…

Só Deus pode fazer milagres, mas tu podes ser aquele que trouxe os cinco pães e dois peixes…

Só Deus pode fazer o que parece impossível, mas tu podes fazer o possível…

Só Deus basta a si mesmo, mas ele preferiu contar contigo…

Parabéns…

Pai”.

E, ao ler estas palavras, fiquei sem reacção…o tempo havia parado naquele momento…fiquei pensativo, de seguida…por fim, o inevitável abraço e lágrimas surgiram…Mais uma vez, Deus permitiu que o meu pai tocasse no meu coração. Afinal Ele serve-se dos outros, para se manifestar e eu não tenho qualquer dúvida disso.

E, quando pensava que o dia não podia melhorar, eis que me é entregue uma segunda carta. Desta destaco a seguinte frase:

“Desde o início, nos ensinaste a não desistir perante os obstáculos e, agora, é a nossa vez de retribuir e de te ajudar a vencer, pondo, não mais um ano em cima da tua vida, mas partilhando esse ano por todos nós…Porque nos fizeste renascer!”

É, de facto, reconfortante, reparar que existem pessoas que nos tomam como exemplos…Isso dá-nos mais força para continuar a viver, de cabeça erguida, conscientes dessa responsabilidade.

Já não me sentia tão preenchido, tão útil para os que me rodeiam, há algum tempo…Felizmente, as pessoas souberam abrir-me os olhos, mostraram-me que, de vez em quando, há necessidade de nos valorizarmos – afinal nós caímos para nos podermos levantar.

Por fim, ainda houve tempo para um jantar em que até o nariz e a camisa comeram bolo – o meu muito obrigado aos familiares e amigos que estiveram presentes, pois sem vós, esta jornada não seria vivida com tanto fervor.

Termino este meu testemunho desejando-me as maiores felicidades e que, como li, no passado dia 8 de Abril, do corrente ano, “que Deus te dê o dobro daquilo que tu me desejas!”

Obrigado Pai, pai, restantes familiares e amigos, por se terem lembrado desse dia, tenha sido através dessa rede social, de nome Facebook, ora por, pura e simplesmente, não esquecerem essa data importante na qual tiveram a amabilidade de me dirigir algumas palavras. Agradeço, também, a mim mesmo por não ter medo da exposição e crítica, à qual me vou “colocando a jeito” com os meus desabafos.

Agradeço-te, amigo Saul, por teres desenvolvido esta personalidade forte e vincada, capaz de agir e escutar, em prol do próximo, como também capaz moldar aqueles que te rodeiam, almejando, sempre, o melhor para todos eles, nem que, por vezes, te esqueças de ti próprio.

Autor: Saul Vitorino

Data de Escrita: 11/04/2012

“Ouvi dizer que…”

Ouvi dizer que hoje era um dia especial para ti!

Cabe-te a ti tornares a vida dos que te rodeiam especial também!

Que este ano consigas ser um pouco melhor, a tua maneira!

Que consigas aconselhar quem precisa!

Que continues a dar aquele empurrão nas costas!

Que não te esqueças de quem te quer bem.

Que consigas sempre ter uma bússola que te norteie.

Que tenhas uma luz, uma daquelas que jamais apagam.

Que ambos te guiem e te iluminem nos caminhos que escolhas!

Que esses 19 puxem mais 19…que não sejam só números, mas também experiencias vividas postas em pratica quando e se necessário!

Cumprimentos,

Saul Vitorino

PS: Não me esqueceria…!

Data de Escrita: 22/04/2009

“Parabens Carolina Vale”

Boas tardes…

Ouvi dizer que hoje era um dia normal, mas com algo especial…

Ouvi dizer que o DIA tinha manha, tarde e noite, que estava sol mas que era gajo para começar a chover…

Ouvi dizer que neste DIA algo importante aconteceu há uns anos para cá, e que pelos vistos se vai mantendo!

Ouvi dizer que alguém muito particular para os seus, para os que o rodeiam, cresceu mais um pouco…

Ouvi dizer que esse alguém se sentiu maior e um pouco melhor consigo, que se lembrou de tanto que passou e do muito que esta para vir!

Ouvi dizer que todos devemos ser nos mesmos, à nossa maneira, na companhia de quem quer que seja…

Ouvi dizer que esse alguém pode andar muito distante, que pode andar muito atarefado, e até entristecido com a ingrata que é a vida!

Ouvi dizer que longe ou perto, triste ou contente, choroso ou sorridente, esse alguém gostava de viver o presente!

Esse alguém? Bem, esse alguém és TU!

Um grande beijinho de parabéns carolina!

E como me ensinaram…

O que fizeres faz bem!

Autoria: Saul Vitorino

Data de Escrita: 04/04/2009